14 Feb Logo De Bernt Entschev

Gestão do capital humano: como fazer um bom planejamento?

autor post De Bernt Entschev
De Bernt

Gestão-do-capital-humano-como-fazer-um-bom-planejamento

Como profissionais da área de Recursos Humanos, nós sabemos que todas as empresas são, na essência, feitas por pessoas. Mesmo quando estamos diante de uma indústria, em que as máquinas e os equipamentos formam a parte fundamental do negócio, devemos lembrar que por trás da programação, operação e manutenção deles existem pessoas. Sendo assim, devemos nos preocupar com a gestão do capital humano.

É o empenho das pessoas que determina o sucesso de qualquer organização. São os trabalhadores que usam a tecnologia, ajudam no posicionamento da marca no mercado e se relacionam com o público. Devemos, portanto, desenvolver um bom planejamento para que a gestão desse capital seja feita com o máximo de eficácia, alcançando resultados positivos para os profissionais e, consequentemente, para a empresa.

Continue a leitura e aprenda a fazer um bom planejamento para a gestão do capital humano da sua empresa.

A valorização do capital humano nas organizações

O mercado, de modo geral, está cada vez mais difícil para as empresas que nele tentam se estabelecer. A competitividade entre as organizações está elevadíssima e, jamais na história, houve uma demanda tão grande por profissionais qualificados. Ao mesmo tempo, existe uma dificuldade das companhias para reter talentos, fazendo com que eles permaneçam em seus quadros.

Se antigamente um funcionário insatisfeito era rapidamente substituído por outro, isso já não ocorre na atualidade. As empresas que se preocupam com suas reputações estão valorizando cada vez mais o capital humano que têm. Elas promovem a criação e o desenvolvimento de equipes de trabalho que atuam com satisfação, harmonia e boas recompensas (programas de incentivo e benefícios).

Essas organizações, para reterem talentos devido à valorização, deram o primeiro passo por meio da criação de um bom planejamento da gestão do capital humano. Primeiramente, elas fizeram um rigoroso trabalho de seleção dos membros da equipe. Como tudo é feito por pessoas, independentemente do ramo da empresa ou o porte, esses profissionais precisam ser escolhidos a dedo.

A necessidade como aliada do planejamento

Nem sempre os empresários e demais gestores enxergam o capital humano sob o mesmo olhar que você. Isso é absolutamente normal, pois a visão que eles têm é voltada para os aspectos mais abrangentes. Desse modo, às vezes, é muito difícil explicar para eles a importância existente no investimento e na valorização da gestão do capital humano. O segredo, entretanto, está no modo como você pode fazer isso.

A criação de um planejamento da gestão do capital humano começa a partir do entendimento da organização em torno dessa necessidade. Fazer com que a empresa melhore os resultados está relacionado com o aumento da produtividade dos profissionais que nela trabalham. É por aí que você deve estabelecer os parâmetros e promover o entendimento dos demais gestores e responsáveis pela organização.

Transforme a necessidade de fazer a gestão do capital humano na maior aliada para iniciar um bom planejamento. O mercado atual exige isso e, diariamente, dá passos largos que obrigam as empresas a acompanhar esse desenvolvimento. Valorizar os profissionais não é, portanto, uma questão superficial. Trata-se de uma necessidade que prepara a companhia para um futuro promissor e sustentável.

O planejamento da gestão do capital humano

Para elaborar o planejamento da gestão do capital humano, você deve começar com uma boa pesquisa em relação ao clima organizacional. Nenhuma medida surtirá o efeito esperado se não houver a compreensão do clima da organização. Entenda, portanto, quais são as necessidades dos profissionais, o que eles esperam da empresa, como são estabelecidas as relações entre eles e de que modo isso influencia na companhia.

Conhecer as pessoas possibilita visualizar de que maneira as ações da empresa podem ou não impactá-las do modo esperado. A qualificação do pessoal, por exemplo, permite direcionar o talento dos profissionais para as necessidades da organização. O conhecimento, somado com a motivação da equipe, cria o ambiente perfeito para que os trabalhadores sejam mais produtivos e alcancem os resultados planejados.

Cria-se, desse modo, um estímulo para que todos trabalhem mais em equipe — em vez de cada um por si. As equipes devem ser mais independentes e, ao mesmo tempo, serem compostas por profissionais que não se limitam a fazer somente o mínimo. Todos são responsáveis pelo resultado, portanto, é fundamental que colaborem entre si e compartilhem conhecimento.

Lembre-se de que, para montar uma boa equipe de trabalho, é necessário melhorar os processos seletivos. A cultura da organização deve ser considerada no momento de criar as vagas de trabalho, assim como as necessidades das áreas. Por isso, é fundamental que se conheça quem são as pessoas que trabalham atualmente na empresa. Esse relacionamento produz informações valiosíssimas.

É da relação entre empresa e profissional que são encontradas as necessidades para o crescimento da organização. As competências e habilidades que faltam devem ser criadas, desenvolvidas e fortalecidas. Para tal, o RH deve analisar constantemente os indicadores com os dados que dão base para a tomada de decisões. Isso deve ser feito alinhado às metas e aos objetivos da companhia.

A análise de dados é fundamental no processo de gestão do capital humano, pois nenhuma decisão deve ser tomada sem o devido embasamento. Uma boa consultoria de RH pode ser a solução que você precisa, afinal, o estabelecimento dos indicadores de desempenho e o acompanhamento desses dados são processos que fazem parte do planejamento que deve ser feito.

consultoria pode oferecer processos customizados para atender as necessidades corporativas do seu negócio — desde a atração de talentos até o desenvolvimento profissional, sem deixar de passar pelo desligamento responsável de profissionais que podem receber um acompanhamento consultivo para que planejem o futuro das suas carreiras. Trata-se de um apoio importante no processo de gerir o capital humano.

Estabelecer práticas e métricas ajudam a manter os gestores da companhia informados sobre o que é ou não prioritário, bem como entender as necessidades da organização. São esses dados que vão para as reuniões e ajudam a equipe de gestão a definir com clareza as ações que serão tomadas. Os indicadores de desempenho, portanto, atuarão como comprovantes da eficácia das ações.

Fazer a gestão do capital humano, como havíamos citado anteriormente, não é uma questão dispensável — trata-se de uma necessidade. Nenhuma empresa deseja ser reconhecida como desatualizada, quadrada e retrógrada. Os bons profissionais, quando não são valorizados, passam a ser assediados pelas companhias concorrentes. A sua, com certeza, não deseja ficar para trás nessa jornada rumo ao sucesso.

Fazer a gestão do capital humano é um dos pilares do RH estratégico. Saiba mais sobre esse modelo de gerir recursos humanos neste outro artigo, que revela 5 importantes segredos.


Faça download: Arquivo


Posts Relacionados